São Paulo registra aumento de 7,6% na compra e venda de imóveis

0
582

Segundo levantamento do Registro de Imóveis do Brasil, o estado de São Paulo contabilizou um aumento de transferências de propriedade e na compra e venda de imóveis. Esse balanço de 2019 confirma o aquecimento do mercado de imóveis.

Vale destacar que a quantidade de transferências imobiliárias no ano passado foi a maior quando comparamos à série história de 2012-2019. Segundo o estudo, no ano passado foram registrados 969.992 operações envolvendo imóveis, 1,5% maior do que em 2012 – até então era o melhor ano deste recorte histórico – e 6,4% em relação a 2018.

Desse total, 651.339 foram exclusivos da modalidade compra e venda – ou seja, 67,1% de todos os registros de transferências de imóveis. Esse resultado mostrou que essa modalidade de compra e venda teve crescimento de 7,6% em relação ao mesmo período de 2018.

O informe ainda mostra quais foram os tipos de transferência de imóveis mais usadas. Vale destacar que essas quatro categorias representaram 86% das transferências registradas no estado, em 2019, são elas:

  • Terrenos (32,9%);
  • Apartamentos (30,4%);
  • Casas (10,7%); e
  • Prédios residenciais (12%).

Qual foi o resultado por regiões de SP?

Entre as 15 regiões do estado de São Paulo analisadas em 2019, as mais importantes em relação ao volume foram as regiões Metropolitana de São Paulo, com 37,5% do total de registros de transferências de propriedade e 36,5% das operações de compra e venda. A segunda região foi Campinas, com 11,5% e 11,8%, respectivamente) e a de Ribeirão Preto (7,6% e 7,7%, respectivamente).

No entanto, se tratando de crescimento nas operações imobiliárias, a região Metropolitana subiu 10%, já Campinas foi 9,7% e Itapetininga cresceu 8,5%. Em relação à compra e venda, o período foi marcado pela alta das operações nas mesorregiões de Campinas (+12,2%), Bauru (+10,8%) e Itapetininga (+8,4%).