Se tiver vacina sobrando em UBS, ordem é vacinar qualquer um com mais de 18 anos, diz secretário

0
76

O secretário municipal da Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, disse nesta sexta-feira (12), que a ordem é a vacinar qualquer pessoa acima de 18 anos caso não sejam encontrados profissionais de saúde, idosos ou pessoas com comorbidades nas imediações de unidades de saúde que registrarem sobra de vacinas contra Covid-19.

“No caso do serviço de saúde, no final do expediente de vacinação, encontrar-se com um fraco de vacina aberto para que não haja qualquer desperdício de dose, está autorizada a aplicação a um profissional de saúde, idosos moradores da região da unidade de saúde e, em não havendo essas categorias, partir para pessoas com comorbidades. Se ainda assim, não for possível, a orientação é vacinar qualquer pessoa acima de 18 anos. Importante: não desprezar nenhuma dose viável da vacina”.

O secretário também informou que não existe qualquer orientação sobre o descarte de doses de vacina na cidade de São Paulo.

“Não existe, na cidade de São Paulo, qualquer orientação de descarte de dose de vacina. Tanto é que as nossas técnicas, e os nossos instrutivos, desde as primeiras doses que nós fizemos, em 23 de janeiro, consta um parágrafo com a inscrição”, disse Aparecido.

Funcionários de algumas unidades de saúde relataram que sobram doses da CoronaVac; isso ocorre no caso dos frascos com mais de dez doses e que precisam ser aplicados em até 8 horas depois de abertos

Segundo a Anvisa, as doses da CoronaVac em frascos multidoses têm validade de oito horas. “Todas as doses devem ser utilizadas num prazo de até oito horas após a abertura do frasco multidose, desde que ele seja mantido em condições assépticas e sob temperatura entre +2°C e +8°C. Essa medida visa garantir as propriedades do imunizante, uma vez que a vacina não contém conservantes”.