SP registra 20 mil mortes por Covid-19; Estado concentra 1/4 de todos os óbitos no Brasil

0
229

O Estado de São Paulo registrou mais de 20.171 mortes por coronavírus (Covid-19) nesta terça-feira (21). A marca foi atingida em apenas quatro meses desde a primeira morte da doença no Brasil. Os dados são da Secretária de Saúde de São Paulo.

No mesmo dia, Brasil também superou a marca dos 80 mil vidas perdidas pela doença. O resultado aponta que 1 a cada 4 vítimas fatais da doença é de São Paulo.

Somente nas últimas 24h foram contabilizadas 383 óbitos e 6.235 novos casos confirmados de Covid-19. As novas confirmações não significam que as mortes ou os novos casos surgiram de ontem pra hoje, mas sim que eles foram contabilizadas no sistema dentro deste período.

De acordo com a média móvel do Governo de São Paulo, o número de mortes diárias pela doença é de 264. Ou seja, o número de mortes de hoje ultrapassa a média dos últimos 14 dias. Vale lembrar que nos fins de semana e segunda-feira o número de óbitos são menores em razão do atraso de notificações.

Com esse resultado, o Estado de São Paulo se mantém no conhecido Platô, quando os números se estabilizam. Até o momento, não há uma tendência de queda no número de mortes pela doença.

Troca de Secretário

Na mesma terça-feira que São Paulo supera a marca de 20 mil mortes, o governador João Doria (PSDB) resolveu trocar o secretário estadual da Saúde. Quem assume a pasta é o infectologista do Hospital Emílio Ribas, Jean Gorinchteyn.

A troca foi motivada em razão do estado de saúde do antigo secretário José Henrique Germann, que passou por um cateterismo no início deste mês. Segundo a gestão, a rotina de trabalho estava desgastante para ele, que vinha se recuperando da intervenção cardíaca.

Flexibilização da quarentena

Há 50 dias o Governo de São Paulo decidiu flexibilizar a quarentena pelo Estado. A decisão levaria em conta as taxas de ocupação de leitos de UTI e a progressão da doença. Na ocasião, o Estado de São Paulo registrava 7.667 mortes pela Covid-19, hoje o número chega a marca de 20.171, segundo dados da Secretária de Saúde.

O Plano São Paulo, avalia esses índices e escolhe qual das 5 fases que a região de São Paulo está inserida. Até o momento, apenas a capital paulista e as cidades das regiões da Baixada Santista, Registro e as sub-regiões Leste (Alto Tietê) e Oeste (Osasco) da Grande São Paulo avançaram para a Fase 3 Amarela, no qual permite a reabertura de mais comércios por mais tempo.

As regiões Araçatuba, Campinas, Franca e Ribeirão Preto se mantiveram na Fase 1 Vermelha. Além delas, outras regiões as áreas de Bauru, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente e Sorocaba regrediram para a etapa de restrição máxima, permitido o funcionamento apenas de serviços essenciais.