Subprefeituras

Subprefeito de Casa Verde fala sobre demandas e ações na região

Dando continuidade às entrevistas com os subprefeitos da região, o programa SP Norte do último sábado (6/10), transmitido pela rádio Atual e em nossa página no Facebook, recebeu Mauro José Lourenço, subprefeito de Casa Verde/Cachoeirinha, e a líder comunitária Gisele Freitas de Souza.

Morador do bairro de Santana, Mauro é engenheiro civil, tendo passado por diversos segmentos públicos, inclusive prefeituras do interior de São Paulo.

Há 10 meses à frente da administração regional de Casa Verde/Cachoeirinha, Mauro relatou os principais problemas enfrentados na região e colocou à disposição os canais da prefeitura, além do 156 e a praça de atendimento, seu gabinete e assessoria, para atender da melhor forma possível as solicitações dos moradores. A subprefeitura fica na Av. Ordem e Progresso, 1001. Outro canal é o Facebook da sub, onde são publicadas as ações realizadas.

Novas vias podem receber Asfalto Novo

“Dentro do programa Asfalto Novo [de recapeamento de grandes vias], fizemos toda a extensão da avenida Casa Verde, e em conjunto com a Subprefeitura Santana/Tucuruvi, as avenidas Braz Leme e Engenheiro Caetano Álvares (foto abaixo) de ponta a ponta. Em breve iniciaremos a terceira etapa do programa, que está em fase de estudos para identificarmos as vias que têm mais necessidade na região”, explica Mauro.

Quanto ao tapa-buraco nas vias da região, o subprefeito esclarece que a demanda chega por meio dos canais de atendimento da prefeitura e o serviço é realizado de acordo com a urgência do atendimento.

Mauro ressalta que, caso o buraco tenha sido aberto pela SABESP, COMGÁS ou outra concessionária de serviços públicos, a responsabilidade por fechar o buraco e fazer o conserto do asfalto é dessas instituições. “Isso não significa que a prefeitura não vá tomar nenhuma providência. Se a solicitação chegar até nós, temos o dever de cobrar a empresa responsável”, diz Mauro.

Córregos da região são “críticos” durante enchentes

“Um trabalho de grande proporção e que nos preocupa bastante é o combate às enchentes”, diz o subprefeito. Segundo Mauro, existem 15 pontos de alagamento na região, sendo que três deles são muito críticos, que são os córregos: Tabatinguera, Papaterra Limongi e Bispo.

Para isso, a prefeitura já vem realizando intervenções juntamente com a SABESP, além de todo o trabalho de limpeza de bueiros, de bocas de lobo e de córregos, e principalmente, realizando um trabalho intenso de conscientização com a população para que não joguem lixo nas vias, o que acaba entupindo os bueiros, ocasionando as cheias.

Descarte irregular

Segundo o subprefeito, na região há 184 pontos cadastrados de descarte irregular, sendo que 23 foram revitalizados. “É uma ação que requer esforço contínuo. Precisamos combater juntamente com a colaboração da população. Disponibilizamos na região quatro Ecopontos, além da operação cata-bagulho que opera aos sábados. Mas, mesmo assim, temos vários tipos de problema. A população tem mecanismos e formas para descartar regularmente, e hoje a nossa regional retira cerca de 330 toneladas por mês de descarte irregular”, relata Mauro.

É importante lembrar que descartar lixo irregularmente é crime ambiental, passível de multa no valor de R$ 12 mil.

Zeladoria na região de Casa Verde

Líder comunitária

Moradora do bairro Casa Verde, Gisele trabalha junto à comunidade na área de educação ambiental e esportes com crianças. “Cobramos muito a regional na questão dos entulhos, manutenção de praças, e a questão dos moradores de rua. Mas, por outro lado, temos um trabalho de conscientização, falamos com os moradores porta a porta, para que todos colaborem evitando jogar lixo nas vias públicas”, explica Gisele.

A líder comunitária diz que está satisfeita com o trabalho da subprefeitura, que sempre mobiliza suas equipes para atender as demandas que surgem. “Isso traz de volta a confiança dos moradores, saber que podem contar com a sua regional”, conclui.

Para quem quiser entrar em contato com a Gisele, o canal de comunicação é o Facebook, no grupo Amamos Casa Verde, que conta hoje com mais de 15 mil membros.



Topo