Marcelo Segredo

Marcelo Segredo / Férias Escolares = Despesas Extras

Como falar de dinheiro com seus filhos

Muitos pais defendem a tese de que as crianças não devem ter contato ou familiaridade com dinheiro. Já outros, assim como eu, estimulam a criança a ter esse contato direto, na prática, através da administração da mesada, pagando pequenas contas e principalmente fazendo investimentos direto na bolsa de valores.  Mas calma, não se apavore, o ponta pé inicial é o bom e velho cofrinho.

A “Educação Financeira” é um tema relativamente novo para a maioria dos brasileiros. A minha geração por exemplo, não aprendeu na escola, tão pouco em casa com os seus pais. Por sorte, morei um tempo com meus avós, descendentes europeus aos quais me passaram os conceitos de educação financeira.

Quando falar de dinheiro com meus filhos?
Em minhas palestras e cursos pais a fora, é muito comum os pais me perguntarem a partir de qual idade a criança deve ser inserida no universo das finanças básicas, e minha resposta é bem simples: “A partir do momento que a criança começa a pedir as coisas, já é o momento de sabermos dizer se é possível comprar determinada coisa ou não, e principalmente explicar quais são as prioridades familiares.” Não existe uma fórmula pronta. O que é certo para uma família pode não servir para outra.

Algumas dicas podem ajudar:

Consenso entre os pais – É fundamental que pai e mãe conversem e decidam sobre como conduzir o assunto com seus filhos, na dúvida procure ajuda de um especialista em gestão financeira familiar, que saberá exatamente como auxiliar nessa etapa. Se tiverem dúvidas, leiam, consultem a internet ou um especialista e cheguem a um consenso. Se os pais estiverem de acordo, terão mais segurança e tranquilidade parafalar com seus filhos

Coloque a teoria em prática – É sabido que os filhos se espelham nos pais, logo o exemplo tem que partir de vocês. No dia a dia, os filhos observam como os pais se relacionam em todos os aspectos, inclusive o financeiro. Se os filhos perceberem que os pais lidam com o dinheiro de forma descontrolada, vivem discutindo sobre ele, trocando acusações, entenderão que isso é normal.

Nunca se esqueça de que os filhos estão observando as atitudes de seus pais o tempo todo. Logo falar de dinheiro em família é fundamental para o amadurecimento financeiro de todos.

Os filhos devem participar do orçamento familiar? Sua família ainda não faz?

Que absurdo! Como evoluir financeiramente sem que a família tenha uma boa gestão sobre seus recursos finitos. Dinheiro não aceita desaforo, e precisa ser cuidado com extrema atenção. Família sem reserva financeira, é família sem qualidade de vida.Uma família precisa ter projetos, sonhos, conversarem e se planejarem para que sejam realizados.

Minha filha por exemplo tem a missão de todos os anos planejar nossa viajem de férias. Passo a ela o orçamento que temos e dentro dele faz toda a programação.

Devo dar uma mesada para meus filhos?

Sim, deve, porém nunca o suficiente para que o valor dado satisfaça todos as necessidades e desejos de seu filho, sempre tem que ser insuficiente, para que passe a ter a noção do valor do dinheiro.

Obviamente, antes que seus filhos consigam entender as 4 operações: somar, diminuir, dividir e multiplicar, a mesada não terá muita utilidade para a sua educação financeira, no entanto existem métodos eficazes para isso.

Dos 5 ou 6 anos: Considere que o espaço de 1 mês para eles se torna uma eternidade. Por isso, recomendo que use o sistema da famosa semanada, ouseja, divida a mesada em semanas, e com o tempo, a semana passa a ser quinzenal. Os educadores financeiros recomendam aos pais que usem a semanada. Com o tempo, a semanada pode virar quinzena. Um parâmetro usado para estabelecer valores de acordo com a idade é R$ 1 por ano de vida, por semana. Assim, uma criança de 5 anos receberia 5 reais por semana.

De 10 a 11 anos: Considerando que aqui o dinheiro está administrado de forma quinzenal, já é a hora de passar a ser mensal, como também já começar a ensiná-los a investir dinheiro no Tesouro Direto por exemplo, ou seja; ensiná-los de que do valor recebido é necessário guardar parte dele. É possível investir no Tesouro Direito a partir de R$ 35,00 mês. Esta é uma forma de começar a transferir para eles a responsabilidade sobre compromissos financeiros.

Quem ama educa!!

Se você não quer que seu filho sofra privações financeiras severas no futuro, é obrigação dos país prepara-los para isso, introduzindo conceitos financeiros como planejamento, economia e investimentos. Ensine-os onde e como economizar na compra daquilo que eles desejam, para que façam um bom uso do dinheiro.

Num primeiro momento é normal que eles se recusem, porém quando perceberem que usaram todo o dinheiro, e que o próximo recebimento está muito distante, virá o sentimento de frustração que também faz parte do aprendizado.

As férias escolares são o período em que temos mais tempo para aplicar esses conceitos aos nosso filhos, portanto, mão na massa.

Foto: Procon/Vitória-ES


marcelo-segredo

Consultor financeiro, palestrante, ex-presidente da ONG ABC (Associação Brasileira do Consumidor), criador da “Clínica Financeira” e “Casamento & Negócios”, diretor presidente da Marcelo Segredo Assessoria Empresarial
Fone: 3360-2902
site: www.marcelosegredo.com.br
e-mail: marcelo@marcelosegredo.com.br



Topo