Homem

Novembro Azul: prevenção é coisa de homem sim!

Especialista reforça que, quando descoberto no início, o câncer de próstata tem 90% de chances de cura. Principal tipo de câncer entre os homens, país registra 68 mil novos casos por ano

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Ainda em 2018, são previstos cerca de 68 mil casos de câncer de próstata no país, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). A estimativa se repete para 2019. De acordo com o Inca, um homem a cada 38 minutos morre em função do câncer de próstata.

O movimento Novembro Azul, criado a partir do Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata (17/11), foi pensado para mostrar a importância da detecção precoce da doença.

Para falar sobre o assunto – que infelizmente ainda é tabu entre muitos homens – o Programa SP Norte, transmitido no último sábado (10/11), convidou o urologista da Clínica Fares, Dr. Vinicius Meneguette. Segundo o especialista, 29% dos homens brasileiros sofrem dessa doença. “A cada sete minutos, um homem descobre estar com o câncer de próstata. Ou seja, a cada uma hora, aproximadamente 10 homens são diagnosticados com a doença”, explica Dr. Vinicius.

Essa alta incidência é devida principalmente à displicência com a saúde masculina e, consequentemente, o diagnóstico tardio, o que causa mais complicações ao paciente. “Ainda existe na cultura masculina um certo preconceito, e ele acaba se privando dos exames preventivos” diz o médico.

Uma doença silenciosa

Como esse câncer é silencioso na sua fase inicial, o especialista explica que a única forma de o diagnosticar antes de haver metástase (quando a doença já evoluiu e se espalhou para outras partes do corpo) é indo ao médico e repetindo essa avaliação periodicamente. “Entre os sintomas, o tumor pode causar dificuldades para urinar, sensação de não conseguir esvaziar completamente a bexiga, presença de sangue na urina e, em alguns casos, dor óssea na região das costas”, explica Dr. Meneguette.

Aposte na prevenção

Além dos exames periódicos, é importante manter dietas ricas em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura. Atividades físicas diárias ou caminhadas, pouco consumo de álcool e não tabagismo também colaboram na prevenção da doença, segundo o médico.

“Outro fator curioso, descoberto recentemente [em 2017] pela Universidade de Boston, nos Estados Unidos, relata que ejacular com frequência pode reduzir o risco de câncer de próstata”, fala Vinicius.

De acordo com a pesquisa, cerca de 32 mil homens foram acompanhados durante 18 anos de suas vidas. Aqueles com idades entre 20 a 29 anos, que ejaculavam 21 vezes ou mais no mês, tinham 19% menos chances de serem diagnosticados com a doença do que aqueles que ejaculavam com menos frequência, entre 4 e 7 vezes por mês. Além disso, o benefício não acontece apenas para homens jovens. Homens entre 40 e 49 anos, que ejaculavam 21 vezes no mês, reduziram o risco de desenvolver o câncer em até 22%.

Tabagismo é um dos fatores de risco. (foto: Pixabay)

São três os principais fatores de risco

1 – Histórico familiar: ter um parente de primeiro ou segundo grau com diagnóstico de câncer de próstata pode aumentar de duas a seis vezes o risco de um homem de desenvolver a doença;

2 – Etnia: homens de ascendência negra têm o dobro da probabilidade de contrair câncer de próstata do que os homens brancos. Os motivos dessas diferenças raciais ainda não estão claros;

3 – Hábitos de vida não adequados: homens que comem muita carne vermelha ou laticínios ricos em gordura parecem ter uma chance ligeiramente maior de ter câncer de próstata. Esses homens também tendem a comer menos frutas e legumes. A síndrome metabólica, como hipertensão arterial, diabetes, colesterol e aumento da cintura abdominal também fazem parte dos fatores de risco da doença.

Para os homens que se encaixam nesses fatores de risco, o médico explica que é fundamental se submeter a exames preventivos já a partir de 45 anos de idade. Para o restante da população masculina, a recomendação é fazer os exames a partir dos 50.

“A realização de um simples exame de sangue e do exame de toque são determinantes para o diagnóstico precoce do câncer de próstata. Quando se descobre no começo, a chance de cura pode chegar a 90%”, diz Dr. Vinicius.

Assista a participação do Dr. Vinícius Meneguette no programa de rádio do SP Norte (a partir dos 40 min):



Topo